quarta-feira, 24 de julho de 2013

Pescadinha...




Portantús...

A culpa da crise é nossa, porque andámos a gastar de mais e a viver acima das nossas possibilidades...

A culpa de não sairmos da crise, também é nossa, porque andamos a gastar de menos e, digo eu, sei lá, a viver abaixo das nossas possibilidades...

Alguém me traga a carabina.



segunda-feira, 22 de julho de 2013

A Montanha Pariu Um (C)Rato





Concurso de professores (que por acaso, se faz de 4 em 4 anos): 3 (ao menos podiam ser 4, só para fazer pendant) entraram nos quadros.

3 - três.

A montanha pariu um (c)rato.



sábado, 13 de julho de 2013

O Cloreto De Sódio E A Política





A propósito do estado da nação e das últimas peripécias, alembrei-me do Sermão de Santo António Aos Peixes, do Padre António Vieira (séc. XVII).

"Vós, diz Cristo, Senhor nosso, falando com os pregadores, sois o sal da terra: e chama-lhes sal da terra, porque quer que façam na terra o que faz o sal. O efeito do sal é impedir a corrupção; mas quando a terra se vê tão corrupta como está a nossa, havendo tantos nela que têm ofício de sal, qual será, ou qual pode ser a causa desta corrupção? Ou é porque o sal não salga, ou porque a terra se não deixa salgar. Ou é porque o sal não salga, e os pregadores não pregam a verdadeira doutrina; ou porque a terra se não deixa salgar e os ouvintes, sendo verdadeira a doutrina que lhes dão, a não querem receber. Ou é porque o sal não salga, e os pregadores dizem uma cousa e fazem outra; ou porque a terra se não deixa salgar, e os ouvintes querem antes imitar o que eles fazem, que fazer o que dizem. Ou é porque o sal não salga, e os pregadores se pregam a si e não a Cristo; ou porque a terra se não deixa salgar, e os ouvintes, em vez de servir a Cristo, servem a seus apetites. Não é tudo isto verdade?"

Uma grande salgalhada, é o que é.



terça-feira, 2 de julho de 2013

A Bola É Redonda




Dada a complexidade do momento que a nação atravessa, o trasgo chama de novo a si a tarefa de elucidar o público (ou, o publicuzinho, como diria o Herman, quando ainda tinha piada).

Observe a imagem, lembre-se de quando andava na escola primária, recorde-se daquele puto melga que infelizmente era o único que tinha uma bola...

Já lhe veio à memória?

Isso mesmo.

É que se passa no governo e na política nacional.